História

O Centro de Documentação de Ílhavo (CDI) foi criado oficialmente em 2012, dando cumprimento à necessidade de constituir um equipamento responsável pela gestão da informação/documentação, quer de âmbito municipal, quer relacionada com a maritimidade do concelho.

Não obstante a sua recente existência, a sua origem remonta à Idade Média com a constituição da municipalidade de Ílhavo, com a inquirição de D. Dinis, a 13 de outubro de 1296, a partir da qual se começou a compilar e a sistematizar a informação de gestão municipal.

Com o passar do tempo, à documentação relacionada com a gestão administrativa do município, juntaram-se outras instituições e respetivos documentos, incrementando e enriquecendo o espólio, que deixou de ser exclusivamente municipal.

A criação do Museu Municipal de Ílhavo (atual Museu Marítimo de Ílhavo), na primeira metade do século XX, deteve um grande impacto na compilação e organização de informação histórica e marítima para o concelho de Ílhavo.

Com a afirmação da maritimidade do museu, em 2001, novos acervos foram surgindo relacionados com o mar, a ria, a construção naval, a pesca e processamento do bacalhau, a Barra, entre outros, vinculando definitivamente o município à temática marítima, influenciando a intervenção do Centro de Documentação.

O CDI pertence atualmente à Divisão de Cultura da Câmara Municipal de Ílhavo e encontra-se distribuído pelos diversos equipamentos municipais, apesar de a sua frente de tratamento técnico e atendimento público se localizar no CIEMar-Ílhavo.